sábado, 23 de maio de 2009

CALENDÁRIO DO MÊS DE JUNHO


ALFABETIZAR É TODO DIA


ALFABETIZAR É TODO DIA

O PROFESSOR DEVE PLANEJAR COM ANTECEDÊNCIA E CONSTANTEMENTE AS ATIVIDADES DE LEITURA E ESCRITA. POR ISSO, MANTER-SE ATUALIZADO COM AS NOVAS PESQUISAS DIDÁTICAS É ESSENCIAL

EXPECTATIVAS DE COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS PARA O 1º ANO

COMUNICAÇÃO ORAL

• FAZER INTERCÂMBIO ORAL, OUVINDO COM ATENÇÃO E FORMULANDO PERGUNTAS.
• MOSTRAR INTERESSE POR OUVIR E EXPRESSAR SENTIMENTOS, EXPERIÊNCIAS, IDEIAS E OPINIÕES.
• RECONTAR HISTÓRIAS DE REPETIÇÃO E/OU ACUMULATIVAS COM BASE EM NARRAÇÕES OU LIVROS.
• CONHECER E RECONTAR UM REPERTÓRIO VARIADO DE TEXTOS LITERÁRIOS, PRESERVANDO OS ELEMENTOS DA LINGUAGEM ESCRITA.

LEITURA

• OUVIR COM ATENÇÃO TEXTOS LIDOS.
• REFLETIR SOBRE O SISTEMA ALFABÉTICO COM BASE NA LEITURA DE NOMES PRÓPRIOS, RÓTULOS DE PRODUTOS E OUTROS MATERIAIS - LISTAS, CALENDÁRIOS, CANTIGAS E TÍTULOS DE HISTÓRIAS, POR EXEMPLO -, SENDO CAPAZ DE SE GUIAR PELO CONTEXTO, ANTECIPAR E VERIFICAR O QUE ESTÁ ESCRITO.
• LER TEXTOS CONHECIDOS DE MEMÓRIA, COMO PARLENDAS, ADIVINHAS, QUADRINHAS E CANÇÕES, DE MANEIRA A DESCOBRIR O QUE ESTÁ ESCRITO EM DIFERENTES TRECHOS DO TEXTO, FAZENDO O AJUSTE DO FALADO AO QUE ESTÁ ESCRITO E O USO DO CONHECIMENTO QUE POSSUEM SOBRE O SISTEMA DE ESCRITA.
• BUSCAR E CONSIDERAR INDÍCIOS NO TEXTO QUE PERMITAM VERIFICAR AS ANTECIPAÇÕES REALIZADAS PARA CONFIRMAR, CORRIGIR, AJUSTAR OU ESCOLHER ENTRE VÁRIAS POSSIBILIDADES.
• CONFRONTAR IDEIAS, OPINIÕES E INTERPRETAÇÕES, COMENTANDO E RECOMENDANDO LEITURAS, ENTRE OUTRAS POSSIBILIDADES.
• RELACIONAR TEXTO E IMAGEM AO ANTECIPAR SENTIDOS NA LEITURA DE QUADRINHOS, TIRINHAS E REVISTAS DE HERÓIS.
• INFERIR O CONTEÚDO DE UM TEXTO ANTES DE FAZER A LEITURA COM BASE EM TÍTULO, IMAGENS, DIAGRAMAÇÃO E INFORMAÇÕES CONTIDAS NA CAPA, CONTRACAPA OU ÍNDICE (NO CASO DE LIVROS E REVISTAS).

ESCRITA E PRODUÇÃO TEXTUAL

• CONHECER AS REPRESENTAÇÕES DAS LETRAS MAIÚSCULAS DO ALFABETO DE IMPRENSA E A ORDEM ALFABÉTICA.
• ESCREVER O PRÓPRIO NOME E UTILIZÁ-LO COMO REFERÊNCIA PARA A ESCRITA.
• PRODUZIR TEXTO DE MEMÓRIA DE ACORDO COM SUA HIPÓTESE DE ESCRITA.
• ESCREVER USANDO A HIPÓTESE SILÁBICA, COM OU SEM VALOR SONORO CONVENCIONAL.
• REESCREVER HISTÓRIAS CONHECIDAS - DITANDO PARA O PROFESSOR OU PARA OS COLEGAS E, QUANDO POSSÍVEL, DE PRÓPRIO PUNHO -, CONSIDERANDO AS IDEIAS PRINCIPAIS DO TEXTO-FONTE E ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DA LINGUAGEM ESCRITA.
• PRODUZIR ESCRITOS DE AUTORIA (BILHETES, CARTAS, INSTRUCIONAIS).

BASEADAS NAS EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM EM LÍNGUA PORTUGUESA DA REDE MUNICIPAL DE SÃO PAULO

É FUNDAMENTAL LEVAR PARA A ESCOLA AS MUITAS FONTES DE TEXTO QUE NOS CERCAM NO COTIDIANO, COMO LIVROS, REVISTAS, JORNAIS, GIBIS, ENCICLOPÉDIAS ETC. VARIEDADE É REALMENTE FUNDAMENTAL PARA OS ALFABETIZADORES, QUE DEVEM AINDA ABORDAR TODOS OS GÊNEROS DE ESCRITA (TEXTOS INFORMATIVOS, LISTAS, CONTOS E MUITO MAIS). E, NAS ATIVIDADES DE PRODUÇÃO DE TEXTO, A INTERVENÇÃO DO PROFESSOR É VITAL PARA NEGOCIAR A PASSAGEM DA LINGUAGEM ORAL, MAIS INFORMAL, À LINGUAGEM ESCRITA.

O NÚMERO MAIS RECENTE DO INDICADOR DE ALFABETISMO FUNCIONAL (INAF), DE 2007, MOSTRA QUE SÓ 28% DA POPULAÇÃO BRASILEIRA ESTÁ NA CONDIÇÃO DE ALFABETIZADOS PLENOS. PARA IMPEDIR QUE MAIS PESSOAS FIQUEM RESTRITAS A COMPREENDER APENAS ENUNCIADOS SIMPLES, O DESEMPENHO ESCOLAR NOS ANOS INICIAIS PRECISA DE RESULTADOS MELHORES. ESSA PREOCUPAÇÃO DEVE SER COMPARTILHADA POR PROFESSORES E ÓRGÃOS PÚBLICOS. “O GOVERNO ESTÁ FAZENDO UMA INTERVENÇÃO ESPECÍFICA NAS SÉRIES INICIAIS PARA TER RESULTADOS RAPIDAMENTE, COM DOIS DOCENTES POR SALA, MATERIAL DIDÁTICO DE APOIO, FORMAÇÃO CONTINUADA E AVALIAÇÃO BIMESTRAL”, AFIRMA MARIA HELENA GUIMARÃES DE CASTRO, SECRETÁRIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE SÃO PAULO.

EXPECTATIVAS DE COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS PARA O 2º ANO

COMUNICAÇÃO ORAL

• PARTICIPAR DE SITUAÇÕES DE INTERCÂMBIO ORAL, OUVINDO COM ATENÇÃO E FORMULANDO PERGUNTAS SOBRE O TEMA TRATADO.
• OUVIR COM ATENÇÃO CRESCENTE A OPINIÃO DOS COLEGAS, EXPRESSAR SUAS IDEIAS, RELACIONÁ-LAS AO TEMA E FAZER PERGUNTAS SOBRE OS ASSUNTOS ABORDADOS.
• APRENDER A RESPEITAR MODOS DE FALAR DIFERENTES DO SEU.
• RECONTAR HISTÓRIAS CONHECIDAS, RECUPERANDO CARACTERÍSTICAS DA LINGUAGEM DO TEXTO ORIGINAL.
• APRENDER A FALAR DE MANEIRA MAIS FORMAL E, ASSIM, SE PREPARAR PARA SE COMUNICAR EM SITUAÇÕES COMO ENTREVISTAS, SARAUS, RECITAIS, CANTORIAS E SEMINÁRIOS, ENTRE OUTRAS.

LEITURA

• APRECIAR TEXTOS LITERÁRIOS.
• COMPREENDER A NATUREZA DO SISTEMA DE ESCRITA E LER POR SI MESMO TEXTOS CONHECIDOS.
• COM A AJUDA DO PROFESSOR, LER DIFERENTES GÊNEROS (LITERÁRIOS, INSTRUCIONAIS, DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA, NOTÍCIAS), APOIANDO-SE EM CONHECIMENTOS SOBRE TEMA, CARACTERÍSTICAS DO PORTADOR, GÊNERO E SISTEMA DE ESCRITA.
• LER, POR SI MESMO, TEXTOS CONHECIDOS, COMO PARLENDAS, ADIVINHAS, POEMAS, CANÇÕES E TRAVA-LÍNGUAS, ALÉM DE PLACAS DE IDENTIFICAÇÃO, LISTAS, MANCHETES DE JORNAL, LEGENDAS, QUADRINHOS E RÓTULOS.
• COLOCAR EM AÇÃO DIFERENTES MODALIDADES DE LEITURA EM FUNÇÃO DO TEXTO E DOS PROPÓSITOS DA LEITURA (LER PARA BUSCAR UMA INFORMAÇÃO, PARA SE ENTRETER, PARA COMPREENDER ETC.).
• COORDENAR A INFORMAÇÃO PRESENTE NO TEXTO COM AS INFORMAÇÕES ORIUNDAS DAS IMAGENS QUE O ILUSTRAM (POR EXEMPLO, NOS CONTOS, NAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS, EM CARTAZES, EM TEXTOS ESPORTIVOS E NAS NOTÍCIAS DE JORNAL).
• AMPLIAR SUAS COMPETÊNCIAS LEITORAS: LER RAPIDAMENTE TÍTULOS E SUBTÍTULOS ATÉ ENCONTRAR UMA INFORMAÇÃO, SELECIONAR UMA INFORMAÇÃO PRECISA, LER MINUCIOSAMENTE PARA EXECUTAR UMA TAREFA, RELER UM TRECHO PARA RETOMAR UMA INFORMAÇÃO OU APRECIAR AQUILO QUE ESTÁ ESCRITO.
• ANALISAR TEXTOS IMPRESSOS UTILIZADOS COMO REFERÊNCIA OU MODELO PARA CONHECER E APRECIAR A LINGUAGEM USADA AO ESCREVER (COMO OS AUTORES DESCREVEM UM PERSONAGEM, COMO RESOLVEM OS DIÁLOGOS, EVITAM REPETIÇÕES, FAZEM USO DA LETRA MAIÚSCULA, DA PONTUAÇÃO).

ESCRITA E PRODUÇÃO TEXTUAL

• ESCREVER ALFABETICAMENTE, AINDA QUE COM ERROS ORTOGRÁFICOS (AUSÊNCIA DE MARCAS DE NASALIZAÇÃO, HIPO E HIPERSEGMENTAÇÃO, ENTRE OUTROS).
• REESCREVER HISTÓRIAS CONHECIDAS, DITANDO-AS OU DE PRÓPRIO PUNHO.
• PRODUZIR TEXTOS SIMPLES DE AUTORIA.
• REVISAR TEXTOS COLETIVAMENTE, COM AJUDA DO PROFESSOR E DOS COLEGAS, PARA MELHORÁ-LOS E, ASSIM, COMPREENDER A REVISÃO COMO PARTE DO PROCESSO DE PRODUÇÃO.
• APRENDER A SE PREOCUPAR COM A QUALIDADE DE SUAS PRODUÇÕES ESCRITAS, NO QUE SE REFERE TANTO AOS ASPECTOS TEXTUAIS COMO À APRESENTAÇÃO GRÁFICA.

BASEADAS NAS EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM EM LÍNGUA PORTUGUESA DA REDE MUNICIPAL DE SÃO PAULO

http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/alfabetizacao-inicial/alfabetizar-todo-dia-431196.shtml


ATIVIDADES DE PORTUGUÊS 2 - DIFICULDADES ORTOGRÁFICAS

















domingo, 3 de maio de 2009

CALENDÁRIO DO MÊS DE MAIO

ALFABETIZAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. PODE?


ALFABETIZAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. PODE?

GRANDE PARTE DAS CRIANÇAS DA ESCOLA PÚBLICA PRECISA DESSE ESPAÇO PARA TER ACESSO A UM AMBIENTE ALFABETIZADOR

A POLÊMICA SOBRE ENSINAR OU NÃO AS CRIANÇAS A LER E A ESCREVER JÁ NA EDUCAÇÃO INFANTIL TEM ORIGEM EM PRESSUPOSTOS DIFERENTES A RESPEITO DE VÁRIAS QUESTÕES. ENTRE ELAS:

O QUE É ALFABETIZAÇÃO? ALGUNS EDUCADORES ACHAM QUE É A AQUISIÇÃO DO SISTEMA ALFABÉTICO DE ESCRITA; OUTROS, UM PROCESSO PELO QUAL A PESSOA SE TORNA CAPAZ DE LER, COMPREENDER O TEXTO E SE EXPRESSAR POR ESCRITO.

COMO SE APRENDE A LER E ESCREVER? PODE SER UMA APRENDIZAGEM DE NATUREZA PERCEPTUAL E MOTORA OU DE NATUREZA CONCEITUAL. O ENSINO, NO PRIMEIRO CASO, PODE ESTAR BASEADO NO RECONHECIMENTO E NA CÓPIA DE LETRAS, SÍLABAS E PALAVRAS. NO SEGUNDO, NO PLANEJAMENTO INTENCIONAL DE PRÁTICAS SOCIAIS MEDIADAS PELA ESCRITA, PARA QUE AS CRIANÇAS DELAS PARTICIPEM E RECEBAM INFORMAÇÕES CONTEXTUALIZADAS.

O QUE É A ESCRITA? HÁ QUEM DEFENDA SER UM SIMPLES CÓDIGO DE TRANSCRIÇÃO DA FALA E OS QUE ACREDITAM SER ELA UM SISTEMA DE REPRESENTAÇÃO DA LINGUAGEM, UM OBJETO SOCIAL COMPLEXO COM DIFERENTES USOS E FUNÇÕES.

EM RAZÃO DESSES DIFERENTES PRESSUPOSTOS, ALGUNS EDUCADORES RECEIAM A ANTECIPAÇÃO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS TRADICIONAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL ANTES DOS 6 ANOS (EXERCÍCIOS DE PRONTIDÃO, CÓPIA E MEMORIZAÇÃO) E A PERDA DO LÚDICO. COMO SE A ESCRITA ENTRASSE POR UMA PORTA E AS ATIVIDADES COM OUTRAS LINGUAGENS (MÚSICA, BRINCADEIRA, DESENHO ETC.) SAÍSSEM POR OUTRA. POR OUTRO LADO, HÁ QUEM VALORIZE A PRESENÇA DA CULTURA ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL POR ENTENDER QUE PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO É IMPORTANTE A CRIANÇA TER FAMILIARIDADE COM O MUNDO DOS TEXTOS.

NA EDUCAÇÃO INFANTIL AS CRIANÇAS RECEBEM INFORMAÇÕES SOBRE A ESCRITA QUANDO: BRINCAM COM A SONORIDADE DAS PALAVRAS, RECONHECENDO SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS ENTRE OS TERMOS; MANUSEIAM TODO TIPO DE MATERIAL ESCRITO, COMO REVISTAS, GIBIS, LIVROS, FASCÍCULOS ETC.; E O PROFESSOR LÊ PARA A TURMA E SERVE DE ESCRIBA NA PRODUÇÃO DE TEXTOS COLETIVOS.

ALGUNS ALUNOS ESTÃO IMERSOS NESSE CONTEXTO, CONVIVENDO COM ADULTOS ALFABETIZADOS E COM LIVROS EM CASA E APRENDENDO AS LETRAS NO TECLADO DO COMPUTADOR. ELES FAZEM PARTE DE UM MUNDO LETRADO, DE UM AMBIENTE ALFABETIZADOR. OUTROS NÃO: HÁ OS QUE VIVEM NA ZONA RURAL, ONDE A ESCRITA NÃO É TÃO PRESENTE, E OS QUE, MESMO MORANDO EM CENTROS URBANOS, NÃO TÊM CONTATO COM PESSOAS ALFABETIZADAS E COM OS USOS SOCIAIS DA LEITURA E DA ESCRITA.

GRANDE PARTE DAS CRIANÇAS DA ESCOLA PÚBLICA DEPENDE DESSE ESPAÇO PARA TER ACESSO A ESSE PATRIMÔNIO CULTURAL. A EDUCAÇÃO INFANTIL É UMA ETAPA FUNDAMENTAL DO DESENVOLVIMENTO ESCOLAR DAS CRIANÇAS. AO DEMOCRATIZAR O ACESSO À CULTURA ESCRITA, ELA CONTRIBUI PARA MINIMIZAR DIFERENÇAS SOCIOCULTURAIS. PARA QUE OS ALUNOS APRENDAM A LER E A ESCREVER, É PRECISO QUE PARTICIPEM DE ATOS DE LEITURA E ESCRITA DESDE O INÍCIO DA ESCOLARIZAÇÃO. SE A EDUCAÇÃO INFANTIL CUMPRIR SEU PAPEL, ENVOLVENDO OS PEQUENOS EM ATIVIDADES QUE OS FAÇAM PENSAR E COMPREENDER A ESCRITA, NO FINAL DESSA ETAPA ELES ESTARÃO NATURALMENTE ALFABETIZADOS (OU APTOS A DAR PASSOS MAIS OUSADOS EM SEUS PAPÉIS DE LEITORES E ESCRITORES)".

REGINA SCARPA (NOVAESCOLA@ATLEITOR.COM.BR)


http://revistaescola.abril.com.br/educacao-infantil/4-a-6-anos/alfabetizar-educacao-infantil-pode-422868.shtml

LinkWithin