sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL


A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL


Brincar é uma das atividades fundamentais para o desenvolvimento da identidade e da autonomia. O fato de a criança, desde muito cedo, poder se comunicar por meio de gestos, sons e mais tarde representar determinado papel na brincadeira faz com que ela desenvolva sua imaginação. Nas brincadeiras as crianças podem desenvolver algumas capacidades importantes, tais como a atenção, a imitação, a memória, a imaginação. Amadurecem também algumas capacidades de socialização, por meio da interação e da utilização e experimentação de regras e papéis sociais. A diferenciação de papéis se faz presente, sobretudo no faz-de-conta, quando as crianças brincam como se fossem o pai, a mãe, o filhinho, o médico, o paciente, heróis e vilões etc., imitando e recriando personagens observados ou imaginados nas suas vivências. A fantasia e a imaginação são elementos fundamentais para que a criança aprenda mais sobre a relação entre as pessoas, sobre o eu e sobre o outro. No faz-de-conta, as crianças aprendem a agir em função da imagem de uma pessoa, de uma personagem, de um objeto e de situações que não estão imediatamente presentes e perceptíveis para elas no momento e que evocam emoções, sentimentos e significados vivenciados em outras circunstâncias. Brincar funciona como um cenário no qual as crianças tornam-se capazes não só de imitar a vida como também de transformá-la. Os heróis, por exemplo, lutam contra seus inimigos, mas também podem ter filhos, cozinhar e ir ao circo. Ao brincar de faz-de-conta, as crianças buscam imitar, imaginar, representar e comunicar de uma forma específica que uma coisa pode ser outra, que uma pessoa pode ser uma personagem, que uma criança pode ser um objeto ou um animal, que um lugar “faz-de-conta” que é outro. Brincar é, assim, um espaço no qual se pode observar a coordenação das experiências prévias das crianças e aquilo que os objetos manipulados sugerem ou provocam no momento presente. Pela repetição daquilo que já conhecem, utilizando a ativação da memória, atualizam seus conhecimentos prévios, ampliando-os e transformando-os por meio da criação de uma situação imaginária nova. Brincar constitui-se, dessa forma, em uma atividade interna das crianças, baseada no desenvolvimento da imaginação e na interpretação da realidade, sem ser ilusão ou mentira. Também se tornam autoras de seus papéis, escolhendo, elaborando e colocando em prática suas fantasias e conhecimentos, sem a intervenção direta do adulto, podendo pensar e solucionar problemas de forma livre das pressões situacionais da realidade imediata. Quando utilizam a linguagem do faz-de-conta, as crianças enriquecem sua identidade, porque podem experimentar outras formas de ser e pensar, ampliando suas concepções sobre as coisas e pessoas ao desempenhar vários papéis sociais ou personagens. Na brincadeira, vivenciam concretamente a elaboração e negociação de regras de convivência, assim como a elaboração de um sistema de representação dos diversos sentimentos, das emoções e das construções humanas. Isso ocorre porque a motivação da brincadeira é sempre individual e depende dos recursos emocionais de cada criança que são compartilhados em situações de interação social. Por meio da repetição de determinadas ações imaginadas que se baseiam nas polaridades presença/ausência, bom/mau, prazer/desprazer, passividade/atividade, dentro/fora, grande/pequeno, feio/bonito etc., as crianças também podem internalizar e elaborar suas emoções e sentimentos, desenvolvendo um sentido próprio de moral e de justiça.


COM BASE NO TEXTO DO REFERÊNCIAL CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE O CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL



ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE O CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

  • Um currículo deve refletir as concepções e as representações do que entendemos ser criança.
  • O trabalho pedagógico é o produto do que pensamos que a criança e das representações que temos do que venha a ser o papel do professor e do que acreditamos que seja aprendizagem.
  • Um currículo deve proporcionar experiências para que as crianças interajam e transitem com confiança e autonomia num mundo complexo como este que vivemos.

  • O papel do professor é o de disponibilizar e organizar espaços, tempos e materiais para que as crianças vivenciem experiências de diversas naturezas.

  • Um currículo deve levar em consideração as necessidades das crianças pequenas, portanto deve-se ficar atento aos tempos de espera e qualificar mais os tempos das atividades.

  • Um currículo deve proporcionar equilíbrio entre atividades onde as crianças se envolvam por conta própria e atividades em que se envolvam em algo coletivo. Que proporcione tempos para que as crianças se envolvam equilibradamente em atividades mais espontâneas e atividades mais dirigidas pelos professores.

  • Um currículo deve proporcionar momentos coletivos em que todas as crianças participam de uma mesma vivência, momentos de trabalhos diversificados, realizados em pequenos grupos em que as elejam segundo suas motivações e momentos de privacidade e relaxamento.

  • O ambiente constitui-se uma variável importante dentro do currículo.

  • Um currículo deve refletir qual o espaço que o Brincar ocupa, destacando os materiais que são disponíveis, os tempos e espaços para o Brincar e as oportunidades que ele oferece para a interação?

  • O currículo deve ser construído pela professora a partir do que as crianças e trazem de interesse.

  • Na elaboração do currículo, ou planejamento flexível entram também elementos do contexto da instituição, ou seja, deve-se levar em consideração o PPP.

Referências Bibliográficas Silva, Tomaz Tadeu da - O Currículo como Fetiche Dahlberg, Gunilla – Qualidade na Educação da Primeira Infância

LinkWithin